Montadoras iniciam 2016 com medidas para cortar produção

    Após registrar queda de 26,6% nas vendas em 2015, a indústria automotiva brasileira inicia janeiro com novas medidas de corte de produção. Sem perspectiva de melhora no mercado, várias montadoras anunciam extensão de lay-off (suspensão temporária de contratos de trabalho), semana reduzida e programas de demissão voluntária (PDV).

    Na maioria das empresas, os funcionários ainda estão em férias coletivas e a retomada da produção deve ocorrer a partir da próxima semana. Na fábrica da Volkswagen em São Bernardo do Campo-SP, o retorno ocorrerá na terça-feira, mas cerca de 1,7 mil trabalhadores entrarão em lay-off até maio.

    Eles vão substituir parte dos 2,3 mil operários que retomarão suas funções após cinco meses de contratos suspensos.

    Na filial de Camaçari-BA, a Ford abriu na segunda-feira um PDV direcionado especialmente aos cerca de 2 mil trabalhadores do terceiro turno, que será suspenso a partir de março. Já os operários da Caoa/Hyundai em Anápolis-GO retomaram atividades na segunda-feira, após um mês de férias coletivas, mas só vão trabalhar quatro dias por semana. Não haverá expediente às sextas-feiras durante todo o mês.

    Em 2015, grande parte das montadoras – principalmente as de maior porte – adotou medidas de corte de produção durante o ano todo. O setor opera com metade de sua capacidade produtiva instalada, que beira os 5 milhões de veículos ao ano.

    Até novembro, as montadoras demitiram 13,3 mil funcionários e novos cortes são esperados.

    Fonte: O Estado de S. Paulo

    Compartilhe nas redes sociais

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor, entre com seu comentário
    Por favor, entre com seu Nome aqui!