Alexandre Baldy assume cargo estratégico na BYD Brasil

Político de carreira, Baldy era Conselheiro da montadora chinesa e, agora, terá a missão de acelerar os negócios da marca no Brasil

Alexandre Baldy
Alexandre Baldy assume cargo estratégico na BYD.

A montadora de veículos elétricos BYD volta a contratar um político de carreira para o cargo de Vice-Presidente Sênior no Brasil para todas as unidades de negócios. Alexandre Baldy, que atuava desde dezembro de 2022 como Conselheiro Especial, também assume como Head Comercial e de Marketing para a BYD Auto.

Muito do que a BYD conquistou até aqui já tem a participação ativa de Alexandre Baldy. Tenho certeza de que sua nova posição vai ajudar a acelerar o nosso projeto de liderar a mobilidade mais sustentável”, endossa Tyler Li, CEO da BYD no Brasil.

Entre suas novas atribuições como Vice-Presidente Sênior, Alexandre Baldy deverá fomentar iniciativas de inovação, impulsionar a marca em todas suas unidades de negócios e fortalecer as parcerias com clientes. “Estou entusiasmado e muito honrado em assumir o papel de Vice-Presidente Sênior da BYD. É um momento emocionante de transformação e expansão da marca”, disse Alexandre Baldy.

Filiado ao PP (Progressistas), de viés político direitista, Baldy, de 43 anos, acumula experiências como Deputado Federal por Goiás, Ministro das Cidades do Brasil e Secretário de Transportes de São Paulo.

Eduardo Paes também trabalhou na BYD como vice-presidente.
Eduardo Paes também trabalhou na BYD como vice-presidente.

Outro político de carreira com passagem pela BYD foi o atual prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes. Inclusive, o fato pode ser responsável por atrasar o ingresso de ônibus elétricos no transporte público da capital fluminense conforme explicou em declaração em outubro de 2023: “Prezado Senhor, adoraria ter comprado ônibus elétricos. Problema é que durante 4 anos eu fui vice-presidente da BYD para toda a América Latina. E a BYD é a única empresa que faz ônibus articulado elétrico. Aí eu fazia uma licitação e a BYD ganhava e iam dizer que eu tinha armado. Infelizmente esse é o Brasil que só acusa e aponta o dedo. Portanto, fomos de diesel EURO-6 por esse motivo. Eu é que não ia correr o risco de ter que ficar me explicando para os tribunais de acusação do Brasil. Tô fora! Fui”, escreveu o prefeito.

Compartilhe nas redes sociais

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu Nome aqui!