VLI e COPI inauguram corredor de fertilizantes do Arco Norte

Projeto tem investimento de cerca de R$ 400 milhões e capacidade operacional inicial de 1,5 milhão de toneladas ao ano

A VLIe a COPI,companhias de soluções logísticas integradas e multimodais, realizaram a cerimônia de inauguração nesta quarta-feira (14), do novo corredor de importação de fertilizantes do Arco Norte no Porto do Itaqui, em São Luís (MA).

O projeto conta com investimentos conjuntos de aproximadamente R$ 400 milhões e já nasce com capacidade para movimentar até 1,5 milhão por ano de toneladas do insumo, suprindo a demanda crescente por fertilizantes no Arco Norte do país.

Os testes operacionais foram realizados ainda no final de 2022, e em 2023, mais de 100 mil toneladas de insumos para fertilizantes já foram transportadas pelo corredor, projetado para atender produtores situados em uma área que abrange os estados do Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás, Bahia e Piauí, além do Tocantins, Maranhão e do Distrito Federal.

Operação

A operação do novo corredor consiste no carregamento pela COPI, no Porto do Itaqui, de composições da VLI, de onde a carga segue por ferrovias VLI até a nova estrutura especialmente projetada e construída pela COPI para esta operação, destinada à recepção, armazenagem e expedição de fertilizantes, no Terminal Integrador de Palmeirante (TIPA), no Tocantins, de propriedade da VLI.

Além destes investimentos, a preparação para a entrada em operação do novo corredor incluiu a aquisição de material rodante para gerar capacidade de movimentação de carga – duas locomotivas, no último ano, e 78 vagões HTT, entregues em março. Os equipamentos se somam à frota da companhia em operação no Corredor Centro-Norte, que liga os estados do Maranhão e do Tocantins.

“A inauguração do corredor de fertilizantes é mais uma mostra do compromisso da VLI com a geração de valor na cadeia de negócios dos nossos clientes e um grande estímulo ao fortalecimento da infraestrutura logística do Arco Norte do país.

Estamos certos de que este projeto representará um marco na história do agronegócio de toda a região, pela eficiência e competitividade da ligação ferroviária, que permitirá o transporte de insumos fertilizantes em direção a zonas produtoras e, no fluxo inverso, a movimentação da safra em direção ao sistema portuário do Maranhão, contribuindo para as exportações brasileiras”, afirma Fábio Marchiori, CEO interino e diretor-executivo Financeiro, de Supply Chain e de Serviços da VLI.

Polo industrial do corredor Centro-Norte

O primeiro grande investimento no polo industrial foi anunciado em fevereiro, pela Mosaic Fertilizantes, que investirá R$ 400 milhões em uma unidade de mistura, armazenagem e distribuição a ser instalada no terminal da VLI, que já tem negociações com outros também players interessados em operar no TIPA.

O movimento poderá ter como consequência a industrialização não apenas do Tocantins, mas de outros Estados da área de influência. A VLI possui experiência neste modelo, com bons resultados para os clientes em operações na Ferrovia Centro-Atlântica, também administrada pela companhia.

Um exemplo é a FTO, localizada ao lado do Terminal Integrador de Araguari (MG). Desde 2019, quando se instalou a interligação por correias transportadoras entre a FTO e o TIA, a FTO cresceu 20% ao ano os volumes movimentados pela ferrovia, com destino ao porto de Tubarão, no Espírito Santo.

LEIA MAIS: Michelin agrega mais valor à linha X Multi

Compartilhe nas redes sociais

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu Nome aqui!