Acompanhe a Editora Frota
Para prevenir o envio de spam, deixe este campo em branco.

 

Você está aqui

Mercado | terça-feira, 03/10/2017 02:17

Venda de veículos sobe 24,5% em setembro, aponta Fenabrave

No mês passado foram emplacadas 199.227 unidades, contra 159.953 no mesmo período de 2016. É o segundo melhor resultado do ano, atrás apenas de agosto
No mês passado foram emplacadas 199.227 unidades, contra 159.953 no mesmo período de 2016. Esse é o segundo melhor resultado do ano, atrás apenas de agosto
A venda de carros, comerciais leves, caminhões e ônibus novos cresceu 24,5% em setembro, na comparação com o mesmo mês de 2016, informou a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), nesta terça-feira (3). 
 
No mês passado foram emplacadas 199.227 unidades, contra 159.953 em setembro do ano passado. É o segundo melhor resultado para o setor em 2017, atrás apenas de agosto, que registrou 216 mil vendas. 
 
No acumulado do ano, foram vendidos 1,62 milhão de veículos novos no país - uma alta de 7,36% sobre o verificado no mesmo período do ano passado.
 
 
O avanço é puxado pelas vendas de automóveis e comerciais leves (picapes e furgões), que representam a grande maioria dos emplacamentos e tiveram crescimento de 24,9% no mês e 7,86% no acumulado do ano, também na comparação com os mesmos períodos de 2016.
 
Caminhões e Ônibus 
 
Em setembro, foram vendidos 1.105 ônibus e 5.647 caminhões, com alta de 33% e 9,3%, respectivamente, sobre o registrado em setembro de 2016. Nos primeiros 9 meses do ano, os emplacamentos de veículos pesados acumulam queda de 7% sobre o ano passado.
 
“A safra contribuiu, mas não o suficiente para mudar o cenário”, explica o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção. As vendas de caminhões também não sobem tanto porque, segundo ele, ainda há veículos novos nas empresas: “Ainda há frota disponível nas transportadoras para ser utilizada”, conclui. 
 
No começo do ano, a Fenabrave estimava que as vendas caminhões e ônibus cresceriam 3,15% sobre 2016. Agora os concessionários acreditam que o segmento passará por um período de estabilidade (-0,13%). 
 
Os emplacamentos de caminhões, para os quais era esperada alta de 2,8%, deverão cair 2% sobre o ano passado, diz a nova projeção. Para ônibus, a previsão melhorou: de alta de 4,4% para 8%.
 
Fonte: G1

 

Deixe seu comentário