Acompanhe a Editora Frota
Para prevenir o envio de spam, deixe este campo em branco.

 

Você está aqui

Agronegócio | quarta-feira, 13/12/2017 03:18

Safra de grãos 2017/2018 deve superar 226 milhões de t, projeta Conab

Volume representa baixa de 4,7% em relação à safra anterior, considerada excepcional por causa do clima favorável o ano todo

O 3º levantamento da Safra de Grãos 2017/2018, divulgado ontem (12/12) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), projeta uma expectativa da produção de 226,5 milhões de toneladas, com baixa de 4,7% em relação à safra anterior, que alcançou 237,7 milhões de toneladas.

Segundo o gerente da área de levantamento e avaliação de safras da Conab, Cleverton Santana, a queda era esperada em razão do clima da última safra ter sido mais favorável para a produção. "Na última safra, tivemos o clima favorável para a produção durante o ano todo. Nos anos normais, ocorrem problemas", explica. Ele acrescenta que essa facilidade do clima em 2016/2017 foi excepcional e possibilitou números recordes na produção de grãos.

A soja e o milho ainda correspondem à maior parcela da produção de grãos no país. Com representatividade de 89% dos grãos produzidos, a soja deve alcançar 109,2 milhões de toneladas e o milho 92,2 milhões. Na safra anterior, os números foram de 114,1 milhões para a soja e 97,8 milhões para o milho. A primeira safra pode ter números menores no ciclo com expectativa de 25 milhões de toneladas, já para a segunda safra, espera-se um alcance de 67,2 milhões de toneladas, número próximo da produção passada, que correspondeu à 67,4 milhões de toneladas. Já o algodão em pluma deve ter aumento de 10,5% na produção, com estimativa para produção de 1,7 milhão de toneladas.

“A área aumentou e isso é bom”, acrescenta Cleverton. O total da área plantada foi favorecido pelo aumento do cultivo de algodão e da soja. Espera-se um aumento de 0,9% e a área pode chegar a 61,5 milhões de hectares. A soja, por ter melhor possibilidade de rentabilidade em relação às outras culturas, deve ter um aumento médio de 3,1%, podendo chegar à 35 milhões de hectares, o que representa um aumento de 1 milhão de hectares em relação à 2016/2017. Já para o milho, estima-se uma redução de 528 mil hectares.

Em relação à produtividade, os números são baseados em análises de séries históricas, já que a safra ainda está em fase de plantio, com exceção da soja, que teve sua análise feita em campo. A pesquisa aponta uma produtividade de 3.123 kg/hectares contra 3.364 da safra anterior para a soja.

Deixe seu comentário