Acompanhe a Editora Frota
Para prevenir o envio de spam, deixe este campo em branco.

 

Você está aqui

Caminhões | quinta-feira, 24/11/2016 11:25

Primeiro caminhão 100% elétrico para coleta de lixo começa a rodar no Brasil

Recarga em até duas horas e silêncio são algumas das vantagens do modelo eT8A, da chinesa BYD, que atuará no interior do estado de São Paulo

O primeiro caminhão 100% elétrico destinado a coleta e compactação de lixo do mundo começou a rodar nas cidades de Paulínia, Indaiatuba, Tietê, Salto e Valinhos, no interior de São Paulo. O projeto é fruto de uma parceria entre a brasileira Corpus Saneamento e Obras e a fabricante chinesa BYD.

O veículo pode compactar até 16 toneladas de lixo por turno de funcionamento e tem autonomia estimada superior a 200 km ou 8 horas de operação por recarga. A partir da primeira metade de 2017, a energia gerada em aterro será utilizada para abastecer os veículos elétricos, fechando um ciclo totalmente sustentável.

O modelo escolhido pela Corpus foi o BYD eT8A, que ganhou um compactador hidráulico para armazenar os resíduos recolhidos e, assim, se torna o primeiro veículo 100% elétrico produzido em massa utilizado para tal finalidade no mundo. Alimentado por uma bateria de fosfato de ferro lítio (reciclável, com vida útil de até 40 anos) o caminhão coletor não emite gases ou fumaça de escapamento na atmosfera, possui manutenção simplificada e é bem mais silencioso do que os veículos tradicionais utilizados na limpeza urbana. “A Corpus sempre se preocupou com a conservação do meio ambiente e melhoria da qualidade de vida das pessoas, colaboradores e comunidade. Por isso, pensamos nessa parceria estratégica”, conta João Paschoalini, diretor operacional da Corpus. Em longo prazo, nossa expectativa é contar somente com caminhões elétricos em nossa frota”, planeja.

O caminhão BYD eT8A possui transmissão automatizada, auxiliar de partida em rampa, e aplicação automática dos freios de serviço sempre que o veículo estiver a 0 km/h. Além disso, conta com torque máximo de 1500 Nm a zero RPM. Com menos peças móveis o custo de manutenção esperado é de pelo menos um terço do veículo a diesel. “Em termos comparativos, o veículo pode ser até sete vezes mais eficiente do que se utilizasse óleo diesel dependendo da região de operação ou do regime de compra de energia do cliente”, explica Carlos Roma, diretor de comercial da BYD no Brasil.

A BYD, que mantém escritório no Brasil desde 2014 e conta com fábrica de ônibus e painéis solares em Campinas, é reconhecida por sua atuação diversificada, envolvendo desde soluções de energia sustentável e estações de armazenamento, até veículos automotivos convencionais, híbridos e elétricos e empilhadeiras 100% elétricas.

Deixe seu comentário