Acompanhe a Editora Frota
Para prevenir o envio de spam, deixe este campo em branco.

 

Você está aqui

Balanço | quinta-feira, 26/11/2015 11:53

Porto de Santos deve fechar ano com recorde, projeta Codesp

Após a queda nas operações em 2014, o complexo marítimo deve recuperar as perdas do último exercício e ultrapassar o total obtido em 2013
Porto de Santos

Em meio à crise econômica, o Porto de Santos caminha para bater um novo recorde de movimentação de cargas neste ano. Após a queda em suas operações em 2014, quando escoou 111,15 milhões de toneladas, o complexo marítimo deve recuperar as perdas do último exercício e ultrapassar o total obtido em 2013, quando atingiu a marca de 114,07 milhões de toneladas.

A expectativa de crescimento foi anunciada pelo novo presidente da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), José Alex Oliva, ao comentar os resultados operacionais registrados pelo Porto no mês passado, quando foram operadas 11,31 milhões de toneladas. O número integra o balanço de movimentação de cargas do cais santista de outubro.

Esse total mostra uma alta de 10,4% sobre outubro de 2014 – quando somou 10,24 milhões de toneladas – e é o melhor resultado para o mês, além da terceira maior marca mensal na história do complexo e o sexto recorde mensal do ano.

No acumulado do ano, foram 99,96 milhões de toneladas, 7,2% a mais (6,7 milhões de toneladas) do que o obtido no mesmo período de 2014 e 3,95% superior ao contabilizado em 2013. Esse total ficou apenas 2 milhões de toneladas a menos do que o registrado nos 11 primeiros meses do último exercício.

Para Oliva, diante dos números contabilizados até outubro, pode-se prever que o Porto registrará, neste ano, um novo recorde histórico anual. “Mais uma vez, a oferta de instalações para atender a todas as modalidades de cargas permitem ao complexo portuário santista apontar crescimento em sua movimentação, demonstrando consistência nos resultados em cenário econômico adverso”.

Exportações

O resultado obtido pelo Porto de Santos foi impulsionado principalmente pelas exportações, que tiveram um crescimento de 20,2% no mês (chegando a 8,42 milhões de toneladas) e de 12,2% no acumulado do ano (72,34 milhões de toneladas). De acordo com a Codesp, foi o melhor resultado mensal dos embarques para outubro e o segundo melhor, na comparação com os outros meses.

O desempenho do complexo se deve, em especial, aos embarques de milho, commodity que ganhou competitividade principalmente com a desvalorização do real frente ao dólar. Apenas no mês passado, os terminais da região carregaram 2,78 milhões de toneladas (51,8% a mais). Considerando o período de janeiro a outubro, foram 10,56 milhões, 70,4% superior ao número de 2014.

O grão foi a carga mais embarcada em Santos em outubro, ultrapassando o açúcar, tradicional líder, e o complexo soja (grãos e farelo). Nas importações, o agribusiness também se destacou. No mês, as maiores quantidades desembarcadas foram as de adubo (305,94 mil toneladas).

Contêineres

O movimento de contêineres em outubro somou 219 mil unidades, uma queda de 0,4%. Mas se o critério for a tonelagem, houve um acréscimo de 2,2%, chegando a 3,76 milhões de toneladas, ou seja, transportou-se uma menor quantidade de contêineres, mas seu peso médio foi superior.

Isso é explicado principalmente pela maior utilização das caixas de aço para o transporte de cargas do agrobusiness. O açúcar em contêineres chegou a 1,37 milhão de toneladas no acumulado de 2015, 18,1% a mais.

O uso dos contentores para cargas agrícolas é uma tendência cada vez mais forte no Porto, líder nacional nas operações tanto de cargas conteinerizadas como nas agrícolas.

Fonte: A Tribuna – Santos

Deixe seu comentário