Acompanhe a Editora Frota
Para prevenir o envio de spam, deixe este campo em branco.

 

Você está aqui

Produtos e Serviços | segunda-feira, 03/07/2017 03:48

Michelin inicia pesquisa para fabricação do pneu do futuro

Empresa estuda criar produto com plásticos recicláveis e banda de rodagem impressa em 3D
Empresa estuda criar produto com plásticos recicláveis e banda de rodagem impressa em 3D
O Grupo Michelin, fabricante de pneus, está desenvolvendo uma pesquisa para criar o pneu inteligente do futuro. O protótipo do modelo, feito de plásticos recicláveis, não usaria ar e teria banda de rodagem impressa em 3-D, que pode ser alterada à medida que as rodovias e as mudanças climáticas assim exigirem.
 
“Embora pareça exagerado, todos os aspectos do futuro pneu são o foco de um projeto de pesquisa e desenvolvimento ativo, em andamento no Grupo Michelin”, disse o vice-presidente executivo de pesquisa e desenvolvimento, Terry Gettys. 
 
O pneu “airless” tem sua estrutura em favo de mel, inspirada em modelos naturais (design generativo: uma forma que imita o processo de crescimento natural das plantas, minerais ou, às vezes, no mundo animal, como nos corais, para exemplo). É feito de materiais reciclados e é totalmente reciclável.
 
“A ideia é que o produto seja conectado e otimizado para veículos autônomos, tornando-se um “pneu inteligente” que se comunica com o veículo e com uma rede de informação maior que o alimenta, desde o clima até as condições das vias”, disse Gettys.
 
Desta forma, o condutor poderia obter informações sobre o desgaste dos pneus e programar uma reimpressão, escolhendo o padrão de banda necessária nesse momento específico para o uso pretendido ou simplesmente seguindo a sugestão feita pelo aplicativo incorporado, que detecta seus requisitos.
 
Segundo o executivo, os pneus estão sendo desenvolvidos para o uso em automóveis e comerciais leves,  já que os veículos representam 80% do mercado. "A Michelin não examinou o desenvolvimento de pneus maiores e mais fortes para caminhões médios e até pesados, mas isso provavelmente se dará", finalizou Gettys.
 
Fonte: Future Transport
 

Deixe seu comentário