Acompanhe a Editora Frota
Para prevenir o envio de spam, deixe este campo em branco.

 

Você está aqui

Transporte | terça-feira, 28/03/2017 02:19

Frete rodoviário de grãos aumenta 26% no Rio Grande do Sul

Farsul destaca falta de estrutura logística do estado como responsável pelo aumento
Escoamento de grãos realizado no Porto Rio Grande
O levantamento realizado pela Assessoria Econômica do Sistema Farsul aponta que o frete de grãos até o porto de Rio Grande teve um reajuste de 26% na comparação entre os meses de março de 2016 e 2017.
 
Para chegar ao resultado, a pesquisa selecionou os municípios da Cruz Alta, Passo Fundo, Santa Rosa e Santo Ângelo, que em média registravam um valor de R$ 63,25 por tonelada no ano passado e chegam a R$ 80,00 neste mês.
 
Santo Ângelo registra o maior aumento, de R$ 65,00 para R$ 85,00, um índice de 31%. O menor reajuste foi em Santa Rosa, mas a região já possuía o frete mais caro em 2016 e manteve a posição, passando de R$ 70,00 para R$ 85,00 por tonelada. Cruz Alta e Passo Fundo tiveram variação de 27%. A primeira passou de R$ 55,00 para R$ 70,00 e a segunda de R$ 63,00 para R$ 80,00.
 
A Farsul coloca a falta de estrutura para logística no escoamento de grãos como um dos fatores prejudiciais no valor dos fretes do estado. Para o diretor da Federação, Fábio Avancini Rodrigues, é necessário diversificar as formas de transporte. “O estado já teve os sistemas hidroviário e ferroviário como grandes opções, mas hoje estão em um plano de coadjuvância. É preciso que se volte a usá-los em condições mínimas”. 
 
Segundo o economista-chefe do Sistema Farsul, Antônio da Luz, a situação se torna ainda mais grave com o atual momento dos preços pagos aos produtores que estão em queda. 
 
“Uma parte da menor rentabilidade do produtor está justamente no custo do transporte. O valor que o agricultor recebe é a diferença entre o valor praticado no porto e o frete. Com preços menores e transportes mais caros, o que sobra é muito pouco”, explica. 
 
Fonte: Página Rural

Deixe seu comentário