Acompanhe a Editora Frota
Para prevenir o envio de spam, deixe este campo em branco.

 

Você está aqui

Mobilidade Urbana | quinta-feira, 01/09/2016 11:04

Ford inicia projeto de compartilhamento de frota em São Bernardo do Campo

Ação interna, inédita na Ford América do Sul, faz parte da estratégia global de mobilidade da montadora

A Ford Brasil iniciou um projeto-piloto para o compartilhamento de frota numa iniciativa que permite aos empregados de seu complexo industrial, em São Bernardo do Campo (SP), alugar veículos da empresa aos fins de semana e feriados. A ação interna, inédita na Ford América do Sul, faz parte de sua estratégia global de mobilidade e tem por objetivo testar novas oportunidades na área. 

Nesta iniciativa, os empregados da unidade do ABC Paulista têm duas opções para participar do programa de compartilhamento de frota, que dispõe para aluguel o modelo Focus Fastback. Uma delas é por meio de um aplicativo web para smartphone, o HR Mobile, onde é possível realizar o agendamento do aluguel. Outra opção é efetuar a reserva diretamente na área de recursos humanos.

O projeto-piloto terá duração de seis meses e permitirá investigar elementos-chave para alternativas de negócios, testar a reação dos clientes à proposta de serviços de mobilidade e até identificar necessidades de soluções técnicas. “A Ford possui inúmeros programas no mundo com o objetivo de experimentar novas iniciativas, incluindo aquelas voltadas ao compartilhamento de veículos. Entre elas, podemos citar o Ford Carsharing, com 176 estações na Alemanha, o GoDrive, em Londres, e o CarAmigo, primeiro serviço de aluguel de automóveis entre particulares da Bélgica”, explica Luciano Driemeier, gerente de Estratégia do Produto da Ford.

Atualmente, a Ford desenvolve um plano global visando a liderança em conectividade, mobilidade, veículos autônomos, experiência do cliente e análise de dados.

No Brasil, a montadora tem organizado e apoiado uma série de ações, como desafios de mobilidade, maratonas de desenvolvimento de aplicativos, os chamados hackathons, e participação em seminários sobre o tema. “Segundo estimativas, o segmento de compartilhamento de carros deve gerar mundialmente, apenas este ano, negócios da ordem de US$ 2 bilhões (cerca de 6 bilhões de reais)”, finaliza o executivo.

Deixe seu comentário