Acompanhe a Editora Frota
Para prevenir o envio de spam, deixe este campo em branco.

 

Você está aqui

Conjuntura | segunda-feira, 07/07/2014 09:57

Condução autônoma pode virar realidade na Europa em dez anos

Em prévia da IAA 2014, Mercedes-Benz mostra caminhão do futuro que trafega sem motorista
Em prévia da IAA 2014, Mercedes-Benz mostra  caminhão do futuro que trafega sem motorista
 
O que até pouco tempo parecia ficção – a imagem de um caminhão trafegando pelas rodovias de forma independente, sem a condução de um motorista – começa a se tornar realidade. A Daimler AG, responsável pela marca Mercedes-Benz, antecipou para a imprensa mundial uma das principais novidades que irá apresentar no Salão Internacional de Veículos Comerciais - IAA 2014 – que acontece entre 25 de setembro e 2 de outubro em Hanover, na Alemanha. É um protótipo do caminhão do futuro, um veículo concebido para operações de longa distância que poderá ser conduzido com total segurança e o máximo de eficiência, mas de maneira independente, dispensando a necessidade de um condutor. Nas contas do fabricante, no prazo de dez anos a condução autônoma deverá ser utilizada nas estradas e vias expressas da Europa. 
 
O “Future Truck 2025” utiliza de forma intensiva todos os recursos tecnológicos de ponta incorporados aos caminhões, como o controle preditivo do trem de força, o assistente atrivo de freios e o sistema de aviso por fadiga, entre outros. Combinado com um conjunto de sensores e câmaras instalados no veículo e interconectados em rede, que reconhecem objetos parados e em movimento. Com o auxilio do GPS e dos mapas digitais, o caminhão também pode detectar perfeitamente e a qualquer momento o traçado da estrada e a topografia da rota. Essa carga volumosa de informações é enviada para um computador central de alta capacidade, possibilitando a tomada de decisões em relação à direção correta e segura do veículo. 
 
O resultado disso tudo aparece em forma do caminhão Mercedes-Benz Actros 1845, equipado com motor de 449 cv de potência, torque de 2.200 Nm e caixa de transmissão automatizada Mercedes PowerShift 3 de 12 marchas. Acoplado a um semirreboque de última geração, batizado de "Aerodynamics Trailer" pela Mercedes-Benz, o mesmo que foi apresentando na IAA 2012. 
 
Na estrada, assim que o “Mercedes-Benz Future Truck 2025” atinge a velocidade de 80 km/h, o sistema oferece ao motorista a opção "Highway Pilot” (piloto rodoviário). Ao ativar esta função o veículo muda para o modo autônomo, permitindo ao condutor se ocupar de outras tarefas. Conforme a situação do tráfego, o caminhão se afasta com total independência de outros veículos. Se existir um veículo à frente, este pode se orientar automaticamente por sua velocidade e manter uma distância segura. Graças ao GPS, o “caminhão do futuro” reconhece as curvas da estrada, além das situações de risco, como veículos parados na pista, animais e avisos de advertência. Se acusar uma emergência, avisos sonoros e mensagens no painel alertam o motorista para assumir novamente o volante. Vale lembrar que, apesar de reconhecer os avanços na condução autônoma, a legislação europeia ainda não permite a circulação de veículos não tripulados pelas ruas e estradas de países da comunidade.
 
Em defesa da tecnologia, a Daimler AG argumenta que a condução autônoma traz benefícios tanto para a transportadora quanto para o motorista. Para a empresa, a novidade vai proporcionar mais segurança no transporte, além da redução do consumo de combustível e da emissão de gases, por conta do uso mais racional do caminhão. Para o condutor, o maior tempo livre na cabine poderá ser usado para outras tarefas produtivas, em benefício de sua saúde, física e mental.
 
A iniciativa tem o endosso de Klaus Ruff, assessor de gerência da Área de Prevenção da Associação Alemã Profissional de Transporte e Tráfego (BG Verkehr). "A condução autônoma vai possibilitar ao motorista a execução de tarefas mais variadas e menos desgastantes, o que tornará mais atraente essa profissão”, garante o especialista.
 
Assista o video aqui
 
Por José Augusto Ferraz, de Magdeburgo, Alemanha
 

Deixe seu comentário