Acompanhe a Editora Frota
Para prevenir o envio de spam, deixe este campo em branco.

 

Você está aqui

Segurança | quarta-feira, 08/02/2017 06:02

Cerca de 15% dos motoristas profissionais sofrem de apneia do sono

Segundo a Abramet, esse é um dos distúrbios do sono que mais merecem atenção desses trabalhadores

Segundo a Abramet (Associação Brasileira de Medicina de Tráfego), um dos problemas de saúde que causam a sonolência e que mais merecem atenção dos motoristas profissionais é a apneia obstrutiva do sono, uma parada respiratória que ocorre quando a pessoa está dormindo.

O diretor de do Departamento de Medicina de Tráfego Ocupacional da Abramet, Dirceu Rodrigues Junior, explica que de 15% a 17% dos motoristas profissionais sofrem com esse problema. “A apneia obstrutiva do sono é a presença de uma parada respiratória durante o sono, que leva o motorista a ter, durante o dia, muita sonolência na direção veicular”, explica. Junior diz ainda que, por conta disso, o indivíduo é capaz de dormir de diversas formas, inclusive sentado ou em pé. “Por isso nós precisamos alertar esse indivíduo, para que ele faça o tratamento e volte a poder dirigir”, complementa o médico.

Segundo ele, em geral, quem é vítima desse distúrbio é obeso e ronca muito à noite. Além disso, alguns fatores podem favorecer o desenvolvimento da apneia, como problemas respiratórios, na faringe e cordas vocais, alterações na arcada dentária e no céu da boca.

Mas Dirceu Rodrigues afirma que, após o tratamento, o motorista pode exercer a atividade normalmente. “Isso se resolve com tratamento clínico, cirúrgico, com algumas orientações ou com uso de aparelhos que fazem com que o indivíduo tenha respiração melhor durante o sono”, diz.

Em alguns casos, além de passar pelos cuidados médicos, o paciente pode ser encaminhado para tratamento com dentista e até fisioterapeuta. O Sest Senat dispõe desses profissionais em unidades localizadas em todos os estados brasileiros. Para profissionais que trabalham em empresas ou autônomos que contribuem com o sistema, além de seus dependentes, o atendimento gratuito. 

Fonte: Agência CNT de Notícias

Deixe seu comentário