Acompanhe a Editora Frota
Para prevenir o envio de spam, deixe este campo em branco.

 

Você está aqui

Balanço | segunda-feira, 18/09/2017 04:15

Álcool é a substância mais consumida entre os motoristas de caminhão, aponta pesquisa

Condutores que associaram bebida alcóolica e direção cometeram mais erros nas tarefas e tiveram menor precisão de desempenho
Condutores que associaram bebida alcóolica e direção cometeram mais erros nas tarefas e tiveram menor precisão de desempenho
O Centro de Informações sobre Saúde e Álcool (CISA) divulgou nesta segunda-feira, 18, que o álcool é a substância mais consumida entre os motoristas de caminhão. De acordo com o levantamento, cerca de 17,5% dos condutores entrevistados relataram ter consumido bebida alcoólica pelo menos uma vez nos 30 dias anteriores à pesquisa. 
 
A análise, realizada em três rodovias do Estado de São Paulo é fundamentada no padrão Beber Pesado Episódico (BPE), ou seja, considera o consumo de cinco ou mais doses em uma única ocasião nos últimos 30 dias que antecedem a apuração.
 
O levantamento mostra que os motoristas que ingeriram álcool cometeram mais erros e apresentaram pior desempenho nas tarefas. Além disso, outro dado preocupante é o tempo de resposta dos caminhoneiros.
 
“A pesquisa aponta que aqueles que consumiram no padrão BPE demoraram três segundos a mais que os não-bebedores para responder a uma situação de risco durante a execução do teste. E quando falamos em acidente de trânsito, o tempo de reação pode custar vidas”, alerta a coordenadora do Centro de Informações sobre Saúde e Álcool (CISA), Dra. Erica Siu.
 
No Brasil, de acordo com pesquisa de 2012 do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) o custo anual dos acidentes de trânsito é de cerca de R$ 40 bilhões, sendo aproximadamente R$ 30 bilhões referentes a acidentes em rodovias e mais de R$ 9 bilhões relacionados a acidentes em aglomerados urbanos. Os dados também revelam que o custo médio unitário de um acidente com morte em rodovia no Brasil é de mais de R$ 566 mil.

Deixe seu comentário